Texto de Fênix Faustine

Nem a tristeza, nem a desilusão, nem a incerteza…

Nem o medo, nem a depressão…

Nada me impedirá de sorrir…

Por mais que sofra meu coração…

Nada me impedirá de sonhar…

Nem o desespero nem a descrença…

Muito menos o ódio ou alguma ofensa…

Mesmo errando e aprendendo, tudo me será favorável…

Para que eu possa sempre evoluir, preservar, servir, cantar, agradecer, perdoar, recomeçar…

Quero viver o dia de hoje, como se fosse o primeiro…

Como se fosse o último, como se fosse o único…

Quero viver o momento de agora, como se ainda fosse cedo, como se nunca fosse tarde… Conservar o equilíbrio e fortalecer a minha esperança…

Quero caminhar na certeza de chegar.

(Imagem: internet)

Poesia da casa – Se eu fosse poeta

SAMSUNG CAMERA PICTURES
Eu queria ser poeta para falar da minha paixão
e assim conseguir mostrar meu amor por você;
eu queria escrever um poema usando a caneta da alma  
e a tinta do sangue do sentimento mais doce. 
Escrever sobre o brilho ímpar dos seus olhos e 
da meiguice de suas mãos e do gosto único da sua boca    
Descrever o arrepio que me percorre todas as vezes em que você 
me enlaça e me aperta em um abraço de ternura e me  beija. 

Do torvelinho de sentimentos que me confundem, me arrebatam 
e me fascinam e me fazem sonhar  quando penso em você.        
Da saudade doída que não me deixa um só instante nessa vida. 
E da vontade de você que me persegue em todos os segundos.  
Se eu fosse poeta eu descreveria tudo isso em um poema 
que pudesse traduzir em palavras tudo o que sinto 
Escreveria sobre nossos sonhos e todos os nossos planos;   

Sobre a esperança de estarmos sempre juntos nessa vida 
e assim um dia, felizes, morrermos no abraço final.      
Escreveria da alegria de ouvir sua voz e sua risada todos os dias. 
E da ansiedade ao ouvir seus passos a cada volta sua  
Se eu fosse poeta escreveria um poema vindo direto do coração 
só para poder dizer, todos os dias, com emoção, 
O quanto eu amo e vivo apenas porque você existe 

E ainda escreveria que você é a imagem da minha felicidade    
Queria ser poeta para conseguir, apenas com minhas palavras, 
não só falar de amor, mas também tocar seu coração 
E que quando você lesse esse meu poema, escrito para você, 
pleno de pura paixão, escrito com a essência de minha alma, 
Você olhasse longamente no fundo nos meus olhos, 
e entre lágrimas, emocionado, dissesse: Te amo! 
Só para isso eu queria ser poeta. 

Mas não sou... 

(Imagem: foto de Maria Alice)

A mulher certa – Fabrício Carpinejar

Você somente se apaixona pela mulher que lhe tira do sério.

Você somente se apaixona pela mulher que vive brigando.

Você somente se apaixona pela mulher que sabe provocá-lo.

Você somente se apaixona pela mulher que desafia sua opinião.

Você somente se apaixona pela mulher que leva desaforo para sua casa.

Você somente se apaixona pela mulher que não pode dominar ou convencer.

Você somente se apaixona pela mulher que faz tudo diferente de sua mãe.

Você somente se apaixona pela mulher que jamais entende, que é um mistério, que é motivo de metade da conversa com seu terapeuta.

Você somente se apaixona pela mulher que teima com sua memória.

Você somente se apaixona pela mulher que tem a coragem de ser espontânea, não se acovarda com o que os outros vão pensar.

Você somente se apaixona pela mulher que derruba suas mentiras.

Você somente se apaixona pela mulher que conhece todos os seus segredos.

Você somente se apaixona pela mulher que cala sua boca com um beijo.

Você somente se apaixona pela mulher que não tem medo de criticá-lo.

Você somente se apaixona pela mulher que implica quando começa a beber e pede para ir embora quando a festa estava ficando boa.

Você somente se apaixona pela pessoa errada.

A mulher de sua vida é a sua inimiga preferida. Como não consegue vencê-la, traz para seu lado.

(Imagem: banco de imagens Google)

Pela revolução dos cravos (Memória)

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente
Um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Em algum canto de jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar

Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim