Envelhecer

Um Espelho Sem Reflexo – O Sábio da Lua Cheia

Chega um momento inesperado

Em que nada do que já foi ainda é

A vida se transforma na frente de nossos olhos

E então duvidamos de nossas mais fortes convicções.

Restos de noites, rastros de estrelas

Sem sul, sem norte, não há rosa dos ventos

O arco-íris já não tem fim nem tem começo

A água já não mata mais a sede

O sol não mais aquece nossa pele

Ao mesmo tempo em que nada nos falta

Temos a certeza de que nada nos basta

Tudo aquilo o que, aos poucos, a vida nos deu em gotas,

Depois nos tirou, de uma só vez, às colheradas

Já não conseguimos sequer saber o que sentimos

Se é melhor a cinza realidade do hoje

Ou o dourado de quando seguíamos

A luz do encanto de uma paixão louca

Cores e formas se misturam na memória

Velhas dores já não conseguem incomodar

Como um sussurro de leve brisa

Antigas paixões ardentes afloram

E logo em seguida desaparecem

Como reflexos na superfície de um lago

Já não nos conhecemos mais

A cada dia o espelho nos apresenta um novo eu

Mais velho, mais baço, olhos mais tristes e apagados

E procuramos onde foi que nos perdemos

Onde está a juventude, a alegria, a vida integral?

Como um pássaro abatido em pleno voo

Fomos lançados nesse limbo da velhice

Sem percebermos que não éramos mais jovens

Passamos por décadas que agora desaparecem

Nos vãos do passado ou desvãos da memória

Quem somos nós?

Quem são essas pessoas que vemos nos espelhos?

Onde foi que nos perdemos de nós mesmos?

A alma ainda é leve, apaixonada, encantada

Mas a realidade é pesada, fria e escurecida

Já não encontramos nosso lugar nesse mundo

Vivemos essa vida que não é a nossa vida

Em um mundo de outra realidade

Aos poucos nos apartamos uns dos outros

E passamos a buscar, ao mesmo tempo

Que tememos ou desejamos não querendo

O inevitável encontro com a implacável Ceifeira

Que é hoje nossa única certeza de futuro

Que nos levará para novo mundo desconhecido

Embora esse aqui também já não seja o nosso

Um dia seguiremos, entre lágrimas de alívio

Para cumprir o inexorável destino

Não veremos as flores que nos serão enviadas

Não sentiremos se verdadeiro o pranto que nos segue

Nada mais nos importará nesse momento

Que haverá de coroar nosso envelhecimento

(Imagem – banco de imagens da internet)

Um comentário em “Envelhecer

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s