Dia de poesia – Pedro Duarte Domingos Martins – Deixa entrar

Deixa entrar o vento que sopra lá fora
Que bate no vidro da tua janela
Que carrega em si um beijo meu
Um sopro de saudade
Deixa entrar e recebe esse beijo
De quem pensa sempre em ti
Que te escreve nas linhas da poesia
A história desse amor que vive no meu peito
Sei que dormes profundamente
Mas enquanto dormes abraçada no cobertor
Um poeta está acordado a pensar em ti
Que te escreve palavras de amor
Não para que saibas o quanto te ama
Mas porque a sua alma assim o pede
Que todo o amor que corre nas suas veias
Se transcreva nessas folhas de papel
Para que tenhas sempre uma recordação
Sempre que sintas saudades
Para que em silêncio me leias
E me possas compreender um pouco melhor
Mas esta noite peço-te que despertes
Escuta o vento que sopra lá fora
Que bate gentilmente na tua janela
Pedindo para entrar
Para que possas receber um beijo meu
Um beijo carregado de saudade
Um beijo cheio de amor
Um beijo de um poeta que pensa sempre em ti
Desde o acordar ao adormecer
Um poeta que nos teus olhos consegue ver
A poesia mais bonita alguma vez escrita
Que reluz no meu olhar
Cada palavra tão bonita
Abre a janela e deixa o vento entrar
E num sopro te entrega um beijo
meu
Um beijo cheio de saudade…

(Imagem: banco de imagens Google)