Dia de poesia – Marco Antonio Alvarenga – À Poesia

Te escrevo, como descrevendo a vida, às vezes amarga, ás vezes doce, mas sempre intensa…
Te escrevo com ânsia, como se fora o ar que respiro, como a água que necessito…
Te escrevo, como se eu tocasse a flor, com a carícia de um poeta e a suavidade da brisa…
Te escrevo, com a ira de um vulcão em erupção, na intensidade do ódio, na fúria insana…
Te escrevo, no transcorrer do tempo, quando nasce o dia e morre a noite…
Te escrevo à minha maneira, com a essência da alma e o corpo inteiro…

(Transcrito, com a imagem, da página do poeta no do facebook)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s