Versos soltos

 

 

Meus versos soltos flutuam e se perdem

pelos cantos da casa da minha alma

fogem impunes pelas frestas das janelas

ou se escondem atrás das pesadas mágoas

Tento, em vão,  capturá-los uma a um,

trazê-los de volta para a minha poesia

mas escorregam pelo tampo da mesa

correm pelo chão onde desaparecem,

e se confundem com as águas que caem

dos olhos em doloridos prantos sofridos

e derramados na hora derradeira

do último amor que aqui um dia habitou.