vida

Pedras runas invertidas

Seja perht ou seja ehwaz,

São o contrário da sorte

Mostram que a vida tem avesso

Se no jogo da bugalha

Conseguir passar as cinco

Não se arrisque mais na vida

Tudo pode dar errado

Mas pular amarelinha

É brincadeira de criança

Quando adulto a diversão

É gastar dinheiro à toa

Crescer é não brincar mais

Crescer é ver a vida perder o encanto

Na verdade o castigo da humanidade

Foi crescer e se tornar adulto na vida

A realidade fica cinzenta

A esperança vai-se esgarçando

Tudo vira um perigo

Nada mais é espontâneo

Quando criança se chora

Até pela bolinha de gude perdida

Quando adulto não se chora

Mesmo que o amor se vá embora

Adulto descobre disfarces

Para não ser censurado

Sorri com a alma chorando

Não mostra a ferida que sangra

Não brinca, não corre, não dança

Disfarça a dor que o destrói

Da mesma forma que as gotas da chuva

Tornam seu pranto invisível