Poesia cantada – Cordas de espinho

Geada vestiu de noiva
Os galhos da pitangueira
Ainda caso com Rosa
Caso ela queira, ou não queira     

Pra domar o meu destino
Comprei um buçal de prata
Nenhum pesar me derruba
Qualquer paixão me arrebata     

Acordoei minha viola
Com seis cordas de espinho
Meu canto tem cor de sangue
Teu beijo, gosto de vinho     

Fui aprender minha milonga
Na água clara da fonte
O canto do quero-quero
Mais que um aviso, é uma ponte      Acordoei minha viola
Com seis cordas de espinho
Meu canto tem cor de sangue
Teu beijo, gosto de vinho     

Fui aprender minha milonga
Na água clara da fonte
O canto do quero-quero
Mais que um aviso, é uma ponte
O canto do quero-quero
Mais que um aviso, é uma ponte
O canto do quero-quero
Mais que um aviso, é uma ponte

(Luiz De Martino Coronel / Marco Aurélio Vasconcellos)

Um comentário em “Poesia cantada – Cordas de espinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s