Cacos

Vidrio Roto Shattered Cristal - Foto gratis en Pixabay

Não ouviu o ruído do cristal se partindo.

Sentiu o coração apertado ao constatar a perda

Mesmo sendo antigo, mesmo desgastado pelo tempo

Era algo que trazia consigo há algumas décadas,

E não desejava ver tudo destruído tão de repente.

Olhou os pedaços espalhados brilhando sobre o tapete

Abaixou-se e começou a recolher cada brilho, cada fagulha

Alguns, mesmo lindos, mesmo pequenos, feriam seus dedos

Fazendo sangrar as lembranças de tempos idos, distantes

Tantos caquinhos que juntos tinham formado esse todo

Que agora chegava ao fim. Como a própria vida,

Tudo encontra seu fim, de alguma maneira, anunciada

Ou inesperada, mas há um momento em que se acaba.

Tentou, ainda, colocar cada pedacinho em seu lugar

Na frágil esperança que tudo poderia ser reconstruído.

Viu que era irrecuperável. Acabou de ajuntar

Todos os cacos ali espalhados, como lágrimas caídas

Colocou com carinho em um mesmo potinho

E, sentindo os olhos se umedecerem,

Jogou fora o que sobrara daquilo que um dia

Até mesmo chamara de amor. Mas acabou.

Um comentário em “Cacos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s