Quero-te – texto de autoria desconhecida

Quero-te como o ar que respiro

com a urgência das manhãs

e dos gestos desfeitos

Quero-te com a imensidão das coisas feitas

e das coisas por fazer

com as luas e com os sóis 

ainda por acontecer

Quero-te querendo-te

assim sem mais explicações

sem vírgulas, sem pontos

nem reticências

Quero-te pela cor da pupila

desenhando-me sorrisos

e inventando-me caminhos

“Querote”, assim junto, sem qualquer traço

porque não permito que nada nos afaste ]

nem se meta de permeio

entre o teu abraço 

e o meu

(desconheço a autoria)