Do grupo Alta Cultura – O sábio Diógenes e o grande Alexandre

Do lado esquerdo lhes apresento Diógenes, um pedinte que morava dentro de um barril de madeira,o mesmo foi pupilo do célebre Antístenes de Atenas, por sua vez fundador do Cinismo e notável discípulo de ninguém menos do que o próprio Socrátes.

Diógenes era natural de Sínope (hoje, uma cidade da Turquia), mas quando questionado sobre sua naturalidade, se havia ou não nascido em Atenas, respondia simplesmente que era “uma criatura natural do cosmos, e não de uma cidade nem de um estado”.

Por desprezar praticamente tudo o que considerava mundano, vivia em trapos e perambulava pelas ruas atenienses carregando uma pequena lamparina acesa. Diógenes falava que estava a procurar pelo menos um homem de verdade, um que vivesse por si mesmo, que não fosse apenas membro de um rebanho. Acabou capturado por piratas e posto a venda como escravo. No mercado, foi comprado por um nobre que lhe incumbiu da instrução de seus dois filhos.

Do lado direito o homem mais poderoso de sua época, dono de uma riqueza e território incalculáveis, Alexandre O Grande.

O imperador ouvirá falar muito sobre sua sabedoria e foi de encontro nas proximidades do porto.

Ao encontrá-lo disse a Diógenes:

“Sou Alexandre, aquele que conquistou todas as terras. Peça-me o que quiser que eu lhe darei. Palácios, terras, honrarias, escravos ou tesouros jamais vistos. O que você quer, ó Sábio?”. Diógenes, levantou os olhos e respondeu: “Senhor, apenas não tire de mim o que não pode me dar . Lhe agradeço pelas ofertas, agora pare de fazer sombra e saia da frente do meu sol”.

Sim, tudo o que ele precisava naquele momento era de paz e tranquilidade, e nada que oferecessem a ele seria maior do que isso. A autossuficiência e a decisão de viver uma vida simples, criaram tamanha lucidez intelectual, que servem de exemplo até os dias de hoje sobre como viver segundo suas próprias convicções. Alexandre pensativo disse a seus companheiros, que estavam rindo da situação, “Se eu não fosse Alexandre, gostaria de ser Diógenes”.

*Escultura do encontro entre Alexandre e o filósofo cínico Diógenes encontra-se na cidade grega de Corinto.

Créditos : Doug Silva grupo Gigantes da literatura .