Na sua volta

 Não me fale de sua tristeza, 
 não descreva suas angústias nem seu cansaço 
 Quando você chegar, olhe nos meus olhos com alegria e
 traga notícias do mundo lá fora, de tudo o que não vi
  
 Quero saber das cores que através da janela 
 o amanhecer projetou na parede do seu quarto 
 E também se seus braços sentiram falta 
 de enlaçar meu corpo e me manter presa no seu
  
 Quero saber do viço das folhas das árvores depois da chuva
 Da algazarra dos pássaros voltando para os ninhos no entardecer
 Quero saber dos tons de ouro e fogo com que o sol 
 tingiu as águas do rio para esperar a noite chegar
  
 Não fale de sua tristeza, de suas angústias nem de seu cansaço 
 Quando você chegar, me abrace em silêncio
 Apenas se deite no meu peito e deixe que meu ventre acolha você 
 Que seja meu corpo o seu repouso e meu amor o seu descanso
(Pintura de Bruno Steinbach. “O Abraço, opus II")