Não há para sempre

Folhas de bordo amarelo seco caindo em um outono | Foto Premium
As folhas caem.

Elas caem porque é outono, porque é inverno.


Ou então elas caem porque está ventando muito.


Ou porque o ar está muito seco. Ou porque está chovendo.


Mas as folhas sempre caem.


As alegrias acabam.


Elas acabam porque o que lhes deu causa passou.


Ou então porque é hora de mudar o rumo da vida.


Ou porque é hora de a tristeza chegar.


Mas as alegrias sempre acabam.


As paixões esfriam.


Elas esfriam porque sua duração é limitada.


Ou então porque as pessoas deixam de se cativar.


Ou o encanto passa diante da crueza da vida.


Mas as paixões sempre esfriam.


As pessoas envelhecem.


Elas envelhecem porque tantos dias passam.


Ou então porque deixam morrer em si a chama vital.


Ou a rotina endurece sua força de querer continuar.


Mas as pessoas sempre envelhecem.


Assim como as paixões esfriam.


Da mesma forma que as alegrias acabam.


E as folhas caem.


Tudo é provisório. Tudo é passageiro.


Nada é para sempre. Há sempre um fim.

Por esse motivo as folhas caem: porque nasceram para caírem um dia.

As folhas caem porque seu destino é cair.


(Foto Premiun)