Fim

Não sei se as palavras já não bastam

Ou se elas não mais são necessárias

O silêncio trouxe a distância

Que mantém separadas as paralelas

Essas linhas que tanto se querem

Mas só se encontrarão no infinito.

Onde fica esse infinito? Não se sabe

A paixão, tão ardente, mina em lágrimas

Que teimam em brotar nos olhos

De quem se viu em outros olhos

Ardem as mãos no vazio

Da falta das outras mãos tão queridas

O nada se impõe e domina

A vida se esvai nos fiapos

De um passado distante

De um amor mal-resolvido

De uma paixão não vivida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s