A morada do poeta

Alma ou poeta: O blog
Poeta, onde é sua morada? 
Quero encontrá-lo, ver onde vive, 
do que é feito seu mundo. 
O poeta me recebe, mas não é bem 
uma casa onde ele mora.
Sua morada é no mundo, seu telhado é o céu
De dia ele avista as nuvens, 
à noite dialoga com as estrelas
Também não tem paredes, 
porque o poeta é livre
Seus limites são os limites do Universo
Não precisa portas nem janelas,
não há cercas nem muros
O chão do poeta é o imenso oceano
Pisa nas espumas das ondas, repousa nas marolas
Os vizinhos do poeta são as matas, os rios,
A natureza tranquila e exuberante
Na casa do poeta se ouvem o mar, o vento e o silêncio
Porque o poeta medita, em profunda solidão, 
 vive dentro de si para conseguir ver o mundo
Procurando a morada do poeta, não a vi
Ela não está sobre a terra, não está no horizonte
Descobri então que o poeta, na verdade
Mora nas lágrimas dos que choram de amor
 Dos que sofrem pelas dores dos humanos
De todos que são amados de verdade
A morada do poeta é a alegria das crianças
A saudade dos idosos, a tristeza de tantos irmãos
A morada do poeta são os sonhos da juventude
E as lembranças que se levam pela vida
Encontrei sua morada, enfim, dentro de mim
Porque o poeta mora, desde sempre, em minha alma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s