Busca inútil

Busquei você
No voo de cada pássaro que avistei
Na espuma de cada onda que chegou na areia
Nas pedras dos caminhos que trilhei
No brilho de cada estrela que surgiu no céu
Em cada curva das estradas que passei
Nas pegadas que avistava nas praias
No último gole de cada dose que tomei
Busquei você
Mas não encontrei
Você já não estava
Era o voo malogrado do pássaro morto
Era a onda que não chegou na praia
Era a pedra que rolou no abismo antes do meu passo
Era a noite escura em que as estrelas não brilharam
Era a estrada interditada
Era a praia que o vento revolvia
Era a dose que não bebi até o final
Você era a ilusão
O que não existia
Quem nunca chegou de verdade
A mentira bem engendrada
A pedra falsa no anel barato
A embalagem de presente preenchida de vento
Você era, na realidade, o nada...

(Imagem: banco de imagens Google)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s