Dia de poesia – Tito Ferreira – Rumo (Um Pequeno Ditirambo)

Vez em quando,

ao escrever um poema,

sob o efeito de álcool e de fumo,

eu tropeço num ou noutro verso

e logo perco o rumo.

Embrenho por outros caminhos,

ora cascalhos,

ora espinhos,

mas ainda assim sigo em frente,

teimoso,

persistente,

tratando a minha velha caneta

como se ela fosse gente.

Um comentário em “Dia de poesia – Tito Ferreira – Rumo (Um Pequeno Ditirambo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s