Dia de Poesia – Katia Chiappini – Último poema de amor

Senti o corpo estremecer

Veio o cansaço enluarado

Um pouco antes do alvorecer

Renasci acordando ao seu lado


Fixei seu vulto em minha mente

E a ternura do abraço sem par

E o apelo da pele envolvente

Trouxe você para o meu andar


Senti meus lábios tocados

E perfumados lençóis de cetim

Os sentimentos desvendados

E seu amor vindo para mim


Faça-se a luz e a luz foi feita

Assim falou o Criador

Faça-se o amor: quero a colheita

Colher você meu semeador


Quantas palavras vazias

Você falou sem pensar

Fazem parte de minha agonia

Imaginei que fosse me amar


Um pouco de ilusão e muito de sonho

Transformou o sentimento de mansinho

O meu amor não sei onde ponho

O tempo me mostrará o caminho


Eu quis tento ter querer

Mas você não me deu espaço

A desilusão me fez ver:

-Só eu o sentimento abraço


Você foi o melhor momento

Deu sentido ao verbo amar

Ficou com meu envolvimento

Fiquei com seu corpo no olhar

(Imagem: banco de imagens Google)