De amar

O seu amor, ame-o e deixe-o livre para amar (Gilberto Gil)

Não é tão difícil assim amar. O problema não é o amor, mas a obsessão, a necessidade de ter o controle sobre tudo, de ver triunfar sempre a própria vontade ainda que isso acabe com a vontade e o sentimento do outro.

Em geral essa obsessão é devida à paixão e não ao amor.

Em nome e em razão da paixão age-se geralmente de maneira irracional. Adota-se o lema “O preço da fidelidade é a eterna vigilância”. E por isso tantos casais infelizes juntos ou definitivamente separados.

Esse controle da vida, dos passos e da vontade do outro aniquila qualquer sentimento positivo, anula a vontade de conviver. E aí vemos que Vinicius não estava assim tão lúcido com o seu “É melhor se sofrer junto que viver feliz sozinho”.

Porque, na verdade, é muito melhor ser feliz sozinho. O que importa é ser feliz. A caminhada do homem na terra é em busca da felicidade, ainda que para cada um ela seja diversa do que o outro busca como felicidade.

Mas um ponto comum todos têm: querem conviver, querem companheirismo. O casamento formal deve ser apenas um companheirismo legalizado, não uma sentença de prisão perpétua de condenado à eterna infelicidade.

Nenhuma pessoa tem o dom de prender a outra, seja por amor, paixão, obsessão, dinheiro, filhos…

Muitos aceitam covardemente continuar juntos, compartilhando um inferno particular porque não têm coragem de romper o círculo vicioso e viciado da situação criada e cômoda e partir em busca da própria felicidade. Quem ainda não foi capaz de se encontrar não tem como procurar nada fora de si mesmo.

Estar em paz consigo é a primeira condição. O ponto de partida. Esse sim, difícil de encontrar, conquistar e assumir.

Falar francamente ao convivente: “Você me sufoca, não respeita meu espaço vital, preciso respirar o meu próprio ar e você quer respirar por mim”. Essa é a segunda condição.

Muitas vezes o sufocador não se vê assim, é rara a pessoa que enxerga os próprios defeitos, e ter ciúmes é um defeito.

Quanto mais livre for seu amor, mais poderá amar você. Porque amor pressupõe a liberdade de escolher.

E se ele escolher ficar com você, será, sem dúvida, apenas por amor.