Dia de poesia – J.G. de Araújo Jorge – Soneto a tua volta

Encontrei, por acaso, em minha biblioteca, um livro sem capa, que trazia, cobrindo a primeira página, um antigo papel de presente. E uma singela data, provavelmente quando veio parar em minhas mãos – 1975 – na qual pude reconhecer meu traço.

Bazar de Ritmos… J G de Araújo Jorge.

Começo a folhear. Poesia. Romantismo a toda prova. Saudade, separação, desesperança…

Trago, desse poeta e político brasileiro, uma poesia – Soneto à tua volta – que traduz muito do que todos nós já sentimos, ao menos uma vez na vida, datado de 1.935:

Voltaste, meu amor… enfim voltaste!
Como fez frio aqui sem teu carinho….
A flor de outrora refloresce na haste
que pendia sem vida em meu caminho.

Obrigado… Eu vivia tão sozinho…
Que infinita alegria, e que contraste!
-Volta a antiga embriaguez porque voltaste
e é doce o amor, porque é mais velho o vinho!

Voltaste… E dou-te logo este poema
simples e humilde repetindo um tema
da alma humana esgotada e envelhecida…

Mil poetas outras voltas celebraram,
mas, que importa? – se tantas já voltaram
só tu voltaste para a minha vida…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s