Férias de sonho

Vou tirar férias de mim,

Vou tirar férias de tudo.

Jogar os sapatos pro alto,

tirar as pilhas dos relógios.

 

Desligar o telefone, a campainha,

Dispensar a entrega de jornal,

Perder as chaves do carro,

Esquecer de abrir os portões.

 

Afofar os travesseiros,

encomendar muito sol.

Ficar sem mala, nem bolsa.

Não pensar, não querer, não ouvir.

 

E assim ficarei trinta dias

Ausente de tudo e de mim.

E, se lá estiver muito bom,

Quem sabe não volto mais, não.