Mourir d’aimer

Tandis que le monde me juge / Je ne vois pour moi qu’un refuge /

Toutes issues m’étant condamnées / Mourir d’aimer

03/06/2011

Professora nos EUA é condenada a 3 anos de prisão por sexo com aluno

Lindsay Massaro, de 26 anos, dava aulas para a 8ª série em Nova Jersey.
Ela teria assumido relações consensuais com adolescente de 15 anos.

Uma professora do condado de Sussex, no estado americano de Nova Jersey, foi condenada nesta sexta-feira (3) a três anos de prisão por ter feito sexo com um aluno, segundo informações da promotoria do condado. A história foi noticiada pelo site de notícias local “NJ.com”.

Lindsay Massaro, de 26 anos, dava aulas para a 8ª série na Escola Elementar de Frankford, foi considerada culpada pelas acusações de ter feito relações sexuais com um garoto de 15 anos, tanto no carro quanto na casa dela.

Segundo os registros, ela teria confessado os atos, mas disse que foi consensual.

Durante o julgamento, Massaro também foi condenada a ser registrada como agressora sexual, e terá que passar por supervisão de liberdade condicional depois dos três anos na prisão.

 

Volta-me à memória um filme de 1971, MOURIR D’AIMER, dirigido por André Cayatte, estrelado por Annie Girardot, que faleceu em fevereiro deste ano. 

O filme conta a história da professora francesa Gabrielle Russier, que nos idos de 1968 se apaixonou por um aluno menor de idade, com quem teve um romance. 

Quando os pais do garoto descobriram o affaire, denunciaram a professora. 

Condenada à prisão a vida de ambos – Gabrielle e seu amante – foi transformada num inferno.

 Vencida pelo desespero, Gabrielle suicidou-se. 

O filme foi um impacto. 

Deixou claro que havia paixão entre a professora e o jovem aluno. E esse foi o crime de Gabrielle: apaixonar-se. Amar e morrer de tanto amar.  

Agora o fato se repete, no Estados Unidos. Mas os tempos são outros, está na moda mulheres envolvidas com garotos mais novos, e ainda fica a pergunta: será que o menino de 15 anos era tão criança assim, tão inocente??? 

E se fosse um professor com uma menina de 15 anos, seria tanto escândalo? Ou aí pode. Afinal, professores sempre molestaram alunas, sempre seduziram meninas… Isso nunca foi escandaloso nem gerou processos e condenações no âmbito criminal… 

Quem não conhece professores que se envolveram com alunas, que chegaram mesmo a deixar suas esposas, suas famílias, em razão de se apaixonarem por alunas? 

Desde o começo do estudo sistematizado em escolas tem-se notícia de professores namorando alunas. Deixou de ser escândalo há décadas.

 O maior romance da história da humanidade – Abelardo e Heloísa – nada mais é que o envolvimento professor-aluna.

 Vemos que a vida se repete infinitamente…

 No caso do filme Mourir d’Aimer, notável, além da magistral interpretação de Annie Girardot, a música interpretada com forte carga de emoção (quando o filme foi feito o caso era recente) por Charles Aznavour.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s